A internet conseguiu, meio de forma involuntária, realizar uma tarefa que antes era quase exclusiva da televisão: a de criar celebridades instantâneas.

Há uns 5, 10 anos, falava-se que era celebridade instantânea quem, por exemplo, participava do Big Brother, ou quem estava saindo com algum famoso. Naquele tempo, o cara tinha que participar de um programa de TV, ficar até três meses fechado em uma casa, para aí sim ter seus 15 minutinhos de fama.

Hoje em dia é tudo muito mais rápido. Uma pessoa pode ser flagrada em uma atividade cotidiana e virar um hit, passar a ser reconhecida e até lucrar com isso.

O caso mais recente – hit absoluto desde a última sexta-feira –  é o da menina louca que fica na porta do prédio do (aparentemente) ex-namorado pedindo o chip do celular. Na teoria, uma garota que não fez nada para aparecer na mídia e estava em um momento de intimidade – ainda que compartilhado com a rua toda – que foi flagrado e a alçou ao status de “celebridade” do fim de semana.

Mais doido é que o namorado, o Pedrooooô, que NEM APARECE no vídeo, foi entrevistado por vários lugares. Começou a circular inclusive um boato no Twitter dizendo que o Boninho daria uma entrevista para o BBB 10 para quem achasse a danada dos berros.

A namorada e o Pedro não são os primeiros nem serão os últimos casos de pessoas que ficam “famosas” por conta da internet. Em algumas horas, provavelmente, eles serão trocados por algum outro fato, com seus personagens, e assim o mundo gira e a Lusitana roda.

Lembra da Ruth Lemos, a mulher do Sanduíche-iche? Se candidatou a deputada e quase leva. Jeremias José e Vanessão de Ji-Paraná (esse um dos meus favoritos) também viraram camiseta, tema de remix e até aplicativo de Facebook. Stefany se apresentou em rede nacional e assinou contrato com gravadora. E a lista não para…

Quem aí aposta um palpite sobre quem será a nova “celebridade”?

Thiago Kaczuroski, o Kazu, escreve às quartas-feiras no Sete Doses.

Anúncios