– Você tem que trazer ela sempre?

– Ultimamente, sim.

– Mas… Por quê?

– Não sei. Tenho tentado te encontrar sem que ela venha. Tem sido impossível.

– Assim você não pode nem chegar perto de mim como quer, não é?

– Não dá. Ela me reprime na hora.

– Não foi assim sempre. Lembra? O que houve? Não consegue convencê-la por 5, 10 minutos? Nem pegar na minha mão agora? Quanto mais o resto. Pelo amor de Deus!

– Ela não deixa de jeito nenhum. Há algum tempo tem sido muito mais forte que eu. É engraçado. Desse jeito, só aparece quando encontro com você.

– Que ótimo. Então subitamente eu sou premiada! Não tem nada pior do que um homem sem atitude.

– Isso eu sei!

– Isso é ridículo… e você, concordando comigo, é um fracasso.

André Esposito Roston escreve para o Sete Doses às segundas-feiras.

Anúncios