Uma notícia que eu li há alguns dias me fez pensar sobre a loucura de “redes sociais” que estamos vivendo atualmente. O site Beautiful People, uma rede para “pessoas bonitas”, resolveu expulsar cerca de cinco mil membros que teriam engordado após as festas de fim de ano.

No Beautiful People quem quer entrar precisa enviar fotos e ser aprovado pelos membros. Após protestos dos “gordinhos”, o banimento foi cancelado, mas eles terão que passar novamente pelo processo de seleção.

Coisas assim dão um pouco da dimensão do que vivemos. As redes sociais em que o sujeito está contam muitas vezes mais do que o sujeito realmente é. Recentemente passamos pela mudança do “Novo Orkut”. Nada mais que uma mudança de interface que começou a ser testada por alguns membros e que seria aberta a todos dali a 60 a 90 dias. Estava escrito no Orkut. Mesmo assim, algumas pessoas que tinham convites passaram a vendê-lo em sites como o Mercado Livre, onde o preço de uma inscrição no “novo orkut” custava entre R$ 3 e R$ 100 (!!!). E teve gente que pagou.

Está circulando por aí um vídeo no qual, na hora do casamento, o casal fala o sim, atualiza o status no Facebook para “casado” e só assim o padre os declara “marido e mulher”. Saca só:

Até o termo “rede Social” anda desgastado. Todo é rede social. Chamam até o Twitter de rede social, quando na verdade é um sistema de microblog. Então resolvi fazer uma listinha de algumas das mais legais – e das mais bizarras redes sociais que estão por aí:

Myspace – Um dos principais canais de comunicação entre artistas e seu público. Nos EUA é bastante comum também entre quem não é músico, por aqui acabou ficando mais popular entre quem quer ouvir coisas novas.

LinkedIn – A melhor rede de contatos profissionais. Uma espécie de Orkut apenas com contatos profissionais, na qual você cadastra informações sobre sua carreira e funciona como um currículo online.

Skoob – uma rede de contatos para leitores. Você cria sua estante com os livros que tem, que já leu, que pretende ler e conversa com outros leitores do país.

Orangotag – Para quem gosta de seriados, dos novos aos antigos, dos populares aos mais obscuros. È possível montar uma lista detalhada com episódios já assistidos e participar de discussões com outros aficionados por séries de TV.

CouchSurfing – Vai viajar e não tem onde ficar? Este site mostra gente que “empresta um sofá” para quem estiver de passagem pela cidade. Também é possível se cadastrar para hospedar estrangeiros que estão no Brasil. Quem já viajou neste esquema afirma que funciona.

Amor em Cristo – Site de namoro evangélico, cheio de fotos fofas de bebês engatinhando. Aposto que não tem putaria. Ou tem.

Black Planet – Um orkut voltado para negros e afro-descendentes, mas que aceita brancos interessados nas questões africanas.

Colnect – uma rede para colecionadores. Dos mais diversos tipos.

LDS Single Hearts – é mórmon e quer arrumar uma namorada? Tá resolvido!

Vampire Freaks – Comunidade para quem gosta de vampiros e assuntos góticos em geral. Com essa onda de Crepúsculo, deve ter lotado.

Thiago Kaczuroski, o Kazu, escreve às quartas-feiras no Sete Doses.

Anúncios