Glaciar Perito Moreno, uma cordilheira de gelo que faz a Patagônia argentina superar levemente a chilena

O sul da América do Sul é pródigo em fiordes e áreas entrecortadas. Tais acidentes tornam frequentes os pontos de fronteira entre o Chile e a Argentina. Embora a questão seja muito mais alfandegária, digamos, trata-se de um território só pontilhado de belezas provenientes das falhas geológicas, formações rochosas e vulcânicas, e do clima severo de inverno polar. Embora seja possível dizer que ambos os lados apresentam grandes atrações (pelo lado chileno, o parque Torres del Paine; pelo argentino, o Glaciar Perito Moreno), dá para associar as possibilidades porteñas a uma cota maior de charme associado ao frio. Já o país que acaba de preterir Michelle Bachelet oferece na sua feição patagônica um turismo mais funcional, associado a esportistas ou caminhantes experientes.

A base para exploração do Glaciar Perito Moreno é um exemplo disso. Para um bom mochileiro, a cidade argentina de El Calafate impressiona logo pelo seu albergue vinculado à rede HI Hostelling. A fachada de um casebre suíço esconde um grande casarão repleto de quartos com calefação e seus beliches confortavelmente adornados de pesados e macios cobertores. O preço é o mesmo de qualquer outro albergue; o que pode soar como luxo aqui é necessidade, já que invariavelmente a temperatura segue abaixo de zero. Calafate é uma típica cidade de montanha, mas é minúscula. São cinco ou seis ruas repletas de restaurantes de toda sorte e um centro comercial tão charmoso quanto diversificado, ao aliar artesanato indígena, europeu e patagônico – a fusão total.

Basicamente, os viajantes em trânsito consideram a cidade como o ponto de partida convencional ao Glaciar Perito Moreno, no espaço denominado Campo de Gelo Patagônico Sul. São 5 km de gelo espesso, que formam uma parede de 60 metros de altura responsável pelo represamento do Lago Argentino. À ação da água sobre o muro aparentemente impenetrável de gelo, segue-se um espetáculo assombroso de desmoronamento que atrai curiosos do mundo inteiro. O Parque Nacional Los Glaciares presenteia os visitantes com uma espécie de píer, de onde se vê, a 200 metros de distância, o despencar de grandes blocos de gelo do tamanho de pequenos conjuntos habitacionais. O gigantismo da experiência emudece e apequena qualquer um.

Experimente com whisky.

Ricardo Torres escreve às terças-feiras para o Sete Doses

Anúncios