No universo da música, principalmente no mundo rock and roll, existe a “maldição do segundo disco”. Geralmente a expressão é usada quando uma banda começa com excelente trabalho e desliza com força no lançamento seguinte. Outra situação que ocorre com frequência é a perda de integrante da formação original. Em muitos casos isso acontece em turnê por causa do desgaste do convívio diário, quando as famosas diferenças artísticas irreconciliáveis pesam, no período de gravação entre um disco e outro, por conta de projeto paralelo promissor de algum integrante ou até por morte.

Weezer já passou por todas essas situações. O homônimo disco de estreia (também conhecido como Blue Album) foi bem sucedido em vendas e turnê. Antes de entrar em estúdio novamente Rivers Cuomo, vocalista, resolveu finalizar seus estudos em Harvard. Enquanto isso, Matt Sharp, baixista, e Patrick Wilson, baterista, formaram The Rentals, que conquistou sucesso com o single “Friends Of P”.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Quando Pinkerton, segundo de inéditas da banda, chegou às lojas a recepção não foi das melhores, tanto que a revista Rolling Stone o elegeu o pior lançamento de 1996.

Sharp resolveu andar com as próprias pernas e foi substituído por Mikey Welsh, artista plástico e baixista de Juliana Hatfield, em Weezer (chamado pelos fãs de Green Album). Após exaustiva turnê e desgaste físico Welsh foi substituído por Scott Shriner, em 2002, titular no baixo até hoje. Em 2011, Mikey Welsh foi encontrado morto em um quarto de hotel, vítima de overdose.

Com os amigos Rhys Jones e Steve Leach a história foi diferente. Eles começaram a escrever algumas músicas juntos “sem grandes pretensões”, como os próprios definiram. Quando sentiram que possuíam bom repertório para gravar em estúdio chamaram Tom, irmão de Rhys, para a bateria e Joel Cox para o baixo. Em 2005 oficialmente nascia Good Shoes. As referências eram Gang Of Four e Buzzcocks. Think Before You Speak, disco de estreia, veio carregado de músicas simples, diretas e cativantes.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

A baixa no baixo aconteceu entre a gravação do primeiro para o segundo disco. Joel Cox colocou em prática Lime Headed Dog, projeto que pretendia soar incrivelmente difícil e estranho. Em No Hope, No Future, segundo lançamento de Good Shoes, ele foi substituído por Will Church.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

A formação clássica em banda de rock é feita de guitarra, bateria, vocal e baixo. Certo? Errado se usarmos Freebass como exemplo. O projeto contava com três baixistas. A ideia surgiu em mesa de pub e envolveu Peter Hook, ex- New Order, Gary “Mani” Mounfield, de Stone Roses e Andy Rourke, ex- The Smiths.

Hook explicou em entrevista ao New Music Express como a banda era dividida: “Mani faz a parte baixa, Rourke o meio e eu as notas altas. Está funcionando muito bem.” O primeiro lançamento foi o EP Two Worlds Collide, e contou com Tim Burgess, de The Charlatans, no vocal de “You Don’t Know This About Me.”

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Na sequência chegou às lojas It’s a Beautiful Life, que contava com 17 músicas e veio acompanhado da primeira baixa. Andy Rourke foi morar em Nova Iorque e seguir carreira de DJ. Inclusive ele tocou no Brasil, em agosto de 2011. Os outros dois baixistas continuaram o projeto e convidaram Gary Briggs, de Haven, para ser o vocalista titular. No final de 2010 a relação entre Mani e Hook esquentou. Mani usou o Twitter para lavar a roupa suja e depois se arrependeu. Hook o desculpou e disse: “Mani is a great friend of mine and he always will be. I have the utmost respect for him as a person and musician. Have none of you ever fallen out with somebody you love?”

Não é difícil encontrarmos entrevistas em que os integrantes de bandas declaram que “precisam de férias” uns dos outros. Além de merecido descanso, este intervalo é necessário para que o próximo reencontro seja produtivo, inspirador, criativo. Alguns músicos inclusive aproveitam para lançar material solo, exploram sonoridades e trazem nova bagagem ao projeto principal. Todos ganham. Inclusive nós, fãs.

.
Lex, Leandro Borghi, é designer gráfico, diretor de arte da Revista Trevo, escreve para o Dezcapas.wordpress.com, produz e apresenta a dose_INDIE há três anos.

Anúncios