Véspera de jogo é dia de apurar o foco em detalhes decisivos, evitar o risco de lesões ou situações embaraçosas. O Grêmio não seguiu script no dia anterior ao da final do Mundial Interclubes de 1983 contra o Hamburgo. Paulo Cezar Lima, o Caju, já no final da sua carreira, se desentendeu com Renato Portaluppi, então com apenas 21 anos, e o clima no grupo ficou pesado.

Dias antes, Renato aprontou outra. Em uma brincadeira, empurrou China em uma piscina quase vazia. O volante machucou o tornozelo e, no sacrifício, participou do jogo mais importante da história do time gaúcho.

Se esses imprevistos atrapalharam o Grêmio, a preparação da equipe para a final do Mundial nunca tinha sido vista na história do futebol brasileiro. Apesar de toda rivalidade, o time deixou a disputa do Campeonato Gaúcho em segundo plano e perdeu a competição para o Internacional. Foram quatro meses de pensamento em apenas um jogo, com período de treinos em Gramado, importação de fitas com jogos do Hamburgo e contratação de veteranos especialmente para o jogo – Caju e Mário Sérgio.

Mário Sérgio foi brilhante ao cadenciar o jogo no meio-de-campo, mas Caju não teve o mesmo desempenho, provavelmente ainda enfezado por conta da confusão com Renato. Com um misto de loucura e ousadia, o ponta direita driblou três vezes seus marcadores e finalizando, praticamente sem ângulo, no canto direito do gol, colocou o Grêmio em vantagem pouco antes do final do primeiro tempo.

O Hamburgo empatou o jogo nos últimos minutos da segunda etapa, provocando a realização da prorrogação. Em três minutos, Renato decidiu o jogo. Deu um corte seco e finalizou com o pé esquerdo. 2 a 1 O Grêmio de Mazarópi, Paulo Roberto, Baidek, De Leon, China, Mário Sérgio, Tarcísio, Caju, Bonamigo, Caio e Valdir Espinosa era os campeão do mundo. Mas o protagonista era o ponta direita, com fama de maluco, que assombraria por mais um longo tempo o futebol brasileiro.

Ana Luiza Ponciano é a responsável pela indicação de filmes aos sábados no Sete Doses, mas dessa vez peço licença para indicar “1983 – O Ano Azul”, que relata as conquistas dos títulos da Libertadores e do Mundial pelo Grêmio no maior ano da história do clube. Vale para quem gosta de futebol e, principalmente, boas histórias.

Leandro Augusto publica vídeos sobre esportes aos sábados no Sete Doses.

Anúncios