O set list dessa dose_INDIE é MAIS do MESMO. Mas o que isso significa? Separei algumas bandas que samplearam trechos de outras músicas para criar uma nova. Esse recurso é muito utilizado pelos cantores de RAP mas não é uma exclusividade.

01 – Van Morrison – It’s All Over Now, Baby Blue

Para a música “Jackass”, lançada no disco Odelay, o Beck usou a base de “It’s All Over Now, Baby Blue” do Van Morrison. A versão original do cantor irlandês pode ser escutada na trilha do bacanérrimo filme Basquiat.


02 – Beck – Jackass

03 – Isaac Hayes – Ike’s Rap II

Os integrantes do Portishead e o cantor Tricky são de Briston e amigos de longa data. Cada um interpretou da sua forma a melancólica “Ike’s Rap II” do Isaac Hayes. Os resultados são a BELÍSSIMA e desesperada “Glory Box” e a sombria “Hell Is Around The Corner”.


04 – Portishead – Glory Box

“… give me a reason to love you
give me a reason to be a woman
I just wanna be a woman…”

A apresentação Live at Roseland NYC é muito mais legal que o clipe original

05 – Tricky – Hell Is Around The Corner

06 – David Bowie – Rock’ N’ Roll Suicide

O Morrissey nunca escondeu que o David Bowie foi uma das suas referências para decidir sobre a carreira de cantor. O mesmo com o Spiritualized, que entre outras bandas, também tem o The Smiths como modelo. Todos eles têm o camaleão do rock como norte.


07 – Morrissey – I Know It’s Gonna Happen Someday


08 – Spiritualized – Come Together

09 – Smashing Pumpkins – Suffer

Além do Isaac Hayes, para o disco Maxinquaye, o Tricky usou a música “Suffer” do Smashing Pumpkins como base para “Pumpkin”, que é tensa na medida certa.


10 – Tricky – Pumpkin

 

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Relato de um Inferno Astral.
 
Tudo começou na semana passada.
“_ Senhor, o seu crédito não foi liberado.”
“_ Mas já passaram dois dias da data prevista.”
“_ O mês de fevereiro tem vinte e oito dias Senhor.
Verifique na próxima semana quando completarem os trinta dias.”
 
O sol já estava a pino no trigésimo quinto dia e nada do crédito ser liberado. O mais prudente foi procurar o órgão onde ele foi solicitado.
“_ Senhor, o crédito está bloqueado.”
“_ BLOQUEADO POR QUÊ?”
“_ Aqui não diz o porquê, mas ele foi bloqueado pelo Ministério e o Senhor terá que ir até lá para saber.”
 
Na fila para a triagem no Ministério pelo menos vinte e poucas pessoas também aguardavam para esclarecer as suas dúvidas. Depois da longa espera uma resposta:
“_ Senhor, a sua inscrição social está incorreta. Se não for alterada, o seu crédito não será liberado.”
 
Para corrigir a inscrição social, mais uma pequena fila para a senha, seguida de outra maior, essa de respeito. Em ocasiões assim o silêncio interno é a melhor companhia mas SEMPRE alguém sentado ao lado quer a compaixão do desconhecido. Depois da longa espera outra resposta:
“_ O Senhor precisa preencher esse formulário para que a correção seja feita. Faça isso e volte para ser atendido.”
 
Nessa hora, além de uma dose de paciência beirando a overdose, o que você mais precisa é de uma simples caneta esferográfica. Azul ou preta, se possível. Para conseguir uma, de quatro a cinco ruas percorridas até a papelaria mais próxima. O estômago reclamava há muito tempo. A hora do almoço tinha se transformado na hora do lanche da tarde.
 
Entregue o formulário com as devidas correções, a segunda parte no Ministério mal havia começado. Aparentemente tudo corria bem até constatar que a senha atendida era a 118 e a senha em mãos a 177. Esse foi o momento adequado para almoçar mas com a atenção redobrada, às dezesseis horas as portas serão fechadas e o próximo dia de atendimento ao público será na segunda-feira. Bom momento também para ver o que acontece na galeria do rock e saber sobre a exposição do Andy Warhol que está para começar na Pinacoteca.
 
Quinze horas e alguns minutos. Vinte e poucas pessoas ainda esperam para ser atendidas. A leitura é a companheira. Um leve cochilo foi inevitável e conversas pelo telefone para passar o tempo. Depois da longa espera chegou a vez da senha 177. São quase dezesseis horas.
“­­_ O Senhor precisa tirar algumas cópias desses documentos para serem anexados ao seu processo.”
“_ Cópias AGORA? Mas o atendimento já está terminando. O que faço?”
“_ Seja rápido ou volte na segunda-feira.”
 
A copiadora numa banca de jornal foi a solução mais próxima. Reiniciado o atendimento. Todos os documentos e cópias estavam em mãos para o crédito ser liberado. No final, o funcionário informou como proceder para verificar o andamento do processo. Mas a dúvida permaneceu, mais uma pergunta precisava ser feita:
“_ E para quando está previsto a liberação do crédito?”
“_ Setembro.”
“_ SETEMBRO? Mas nós estamos em MARÇO.”
“_ Tenha uma boa tarde Senhor.”
 
Relato de um Inferno Astral VERÍDICO.

 .

Clique aqui para baixar a relação de TODAS as dose_INDIE.

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod.

Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3.

Lex publica seu podcast às sextas-feiras no Sete Doses

Anúncios