Bandcamp. Se você não tem preconceitos musicais e gosta de descobrir artistas novos por acaso este é o seu novo site favorito.

 

Uma descoberta recente que tem ocupado minhas madrugadas é o BandCamp, um site voltado para artistas disponibilizarem seu trabalho de uma forma que o fã possa ouvir sem enrolação e, se quiser, comprar o disco ou a faixa que está escutando.

Por ser voltado para os artistas, ele funciona muito mais como um arquivo de milhares de sites de bandas de todos os gêneros possíveis e o jeito mais fácil de navegar por ele são pelas tags. Ele não é como, por exemplo, o MySpace, no qual dá para ir de um artista para o outro, ou fazer buscas, ou ficar “amigo” dos artistas.

O BandCmp é mais direto no seu propósito: possibilitar que o artista disponibilize seu material da forma mais fácil possível.

O legal é que todas as músicas hospedadas no sistema podem ser ouvidas de graça na íntegra. Só dar o play que um tocador super rápido faz o serviço de forma muito eficiente. Cada artista escolhe o que quer fazer com seu trabalho. Uns só deixam ouvir. Outros deixam baixar de graça. Já outros vendem por um preço fixo (o álbum mais caro que vi à venda foi um de 13 libras. Geralmente custam entre 5 e 10 dólares). Tem também os que deixam você escolher o quanto pagar (dos que tentei, um deixou baixar por 0 dólares, outro colocou 1 cent como preço mínimo).

Sei que não temos o hábito (ainda mais em dólar), mas é possível dar mais do que os artistas pedem, como forma de incentivar o trabalho.

Uma das coisas que mais me chamou atenção: é possivel baixar todas as músicas em diversos formatos: desde um mp3 de boa qualidade até arquivos FLAC ou do formato sem perda de som da Apple, e tudo sem pagar a mais por isso.

O sistema ainda não é muito popular entre os artistas brasileiros, mas já tem gente como a Monique Maion, os caras do Mamma Cadela, do Hidrocor, o Nene Trio, entre outros.

Mesmo sendo voltado para as bandas, e funcionando muito bem, como mostra o vídeo abaixo, é uma delícia para os fãs. Sabe aquela coisa que rolava antigamente, de escolher um disco pela capa, principalmente em lojas gigantes, como uma Fnac da vida? Aqui dá pra fazer isso. Foi assim que descobri o ScrambledED, o MexicoFallz, a Marian Call, a Sophie Madeleine

 

 

Thiago Kaczuroski, o Kazu, escreve às quartas-feiras no Sete Doses e adora ser surpreendido com músicas que não conhecia, principalmente de madrugada.

Anúncios