Retomando o assunto da semana passada, sigo com algumas dicas para quem quer aprender algo de graça na internet.

Para quem não fuçou na semana passada, apresento de novo o Live Mocha. Ele é uma das mais bem feitas iniciativas de comunidade ligada a educação que eu conheço. Após um cadastro, você pode escolher quais cursos de idiomas quer fazer.

A grande maioria é de graça. São textos teóricos, exemplos, exercícios que você vai liberando conforme vai completando a carga de conteúdo. Mas o mais interessante é que você pode entrar em contato e trocar exercícios e informações com outros usuários do site, que estão aprendendo o mesmo idioma ou então que já são fluentes mas que gostam de ajudar.

Até o momento os idiomas com cursos são: Esperanto, Ucraniano, Urdu, Russo, Búlgaro, Croata, Islandês, Catalão, Húngaro, Híndi, Indonésio, Turco, Sérvio, Português, Hebraico, Grego, Alemão, Italiano, Letão, Danko-Norueguês, Tcheco, Eslovaco, Japonês, Coreano, Francês, Polonês, Farsi, Estoniano, Sueco, Lituânio, Mandarim, Romeno, Finlandês, Inglês, Holandês, Espanhol e Árabe.

Esse caráter colaborativo – seu diferencial em relação a outros cursos do gênero – fez o site ser eleito um dos 50 melhores do ano pela revista Time (você vê a lista completa aqui).

Outra iniciativa bacana é o Gutenberg Project, que reúne num só ambiente textos de diversas línguas que já estão em domínio público, inclusive os brasileiros. Vale dar uma conferida aqui.

Uma coleção bastante famosa – e bem legal – que mostra os primeiros passos para quem quer aprender algo é a …for Dummies. Com linguagem clara e diversos exemplos, há anos os livros vendem bastante e tratam dos mais diversos assuntos. De cálculo a pôquer. Não é exatamente de graça, mas o Sete Doses dá um jeitinho: aqui e aqui você consegue baixar, via torrent, uma coleção com centenas destes livros. É só marcar na hora de abrir o arquivo quais você quer fazer o download e aproveitar.

Thiago Kaczuroski, o Kazu, escreve às quartas-feiras no Sete Doses

Anúncios